sábado, 31 de dezembro de 2011

A LINHA FINAL...

Fim de linha...
Este como previa não foi um ano satisfatório, nada de evoluções e muitos, muitos atrasos...
A nível pessoal quase não dei por mudanças com uma excp. falta de numerário, este foi o ponto em que ouve diferenças, aproxima-se rapidamente a passagem para outro nível e a verdade é que não me sinto optimista, antes pelo contrário, não acredito em devaneios mas a coisa vai ficar feia, os tipos la de cima estão a acabar com a classe social onde já me sentia inserido e...
Como vou ter que trabalhar mais meia hora diária em 2012 vou ter que prescindir de algo e claro os blogges estão na linha da frente para o sacrifício, menos tempo quer dizer menos disponibilidades, menos € nos bolsos quer dizer que há que cortar em algo, a net é o que se me aparenta mais viável, talvez o primeiro corte passe por aqui...
Há já me esquecia, não vale desesperar pois o povo é que quis esta miséria, o povo é que decidiu ser masoquista, é este povo que deve sofrer as consequencias...
Bom por mim devo dizer que não vou atender números privados, não vou ligar a insinuações pouco claras, além de que quem primeiro se apresenta é quem deve dar a cara...
ENFIM UM EXCELENTE ANO PARA TODOS, DENTRO DO QUE SEJA HUMANAMENTE POSIVEL.

domingo, 25 de dezembro de 2011

O LADO OPOSTO.

Um monumento diferente, o primeiro românico em terras lusas, lá está o postigo que deu origem à imagem anterior.Outro exemplo...



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

domingo, 18 de dezembro de 2011

Aqui tão perto...

Uma apresentação diferente...


Uma obra digna de ser vista....





Ao longe a primeira plataforma eólica no oceano em águas Portuguesas, talvez uma alternativa viável quem sabe, à energia fóssil, nuclear, e quem sabe às tão controversas barragens...



A mesma imagem agora vista de cima...


A humenagem aos que procuraram um futuro melhor longe do país, talvez os nossos governantes se tenham inspirado aqui...



Boa preservação, dá gosto visitar...



Diferente mas bem enquadrado.



A época, também aqui representada.



Cada um dará a sua versão, gostos não se discutem... O lado oposto.







Eis o regresso ao passado.






















sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A caça...

A caça, desporto de muitos Portugueses, nunca entendi muito bem qual o fascínio de atirar em animais indefesos, nunca percebi qual o prazer?


Alguns ainda afirmam que é pelo convívio, pelas "tainadas," pelo prazer de caminhar por entre serras e vales, tudo bem mas há sempre muitos (snãos)...


estas duas imagens foram captadas em semanas diferentes, sem autorização dos respectivos caçadores é claro, além de que eles têm armas de fogo e eu desde o tempo de tropa nunca mais peguei em nenhuma.


Creio que não é muito justo, os caçadores ficam horas nos restaurantes os obreiros da caça ficam enjaulados no exterior.


como se pode reparar talvez os mesmos animais quase no mesmo sitio em semanas diferentes.


(Não seria boa ideia soltar estes animais, talvez eles um dia destes apanhassem desprevenido um coelho que anda por aí a infernizar a vida aos Portugueses, um mentiroso compulsivo que precisa realmente ser caçado)



Aqui já nasceu o menino.

Foi o primeiro presépio que vi nesta época Natalícia, bem colocado no centro da pitoresca Paredes do Coura, no entanto descobri uma pequena (grande) falha o menino veio mais cedo, talvez porque nesta zona não há cegonhas...


Quem sabe o salvador não veio mais cedo para corrigir esse coelho que anda por aí a fazer disparates.



video

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

O mundo da lua...






Era ainda bastante miúdo quando comecei a ouvir falar nas façanhas Americanas, até as que nos diziam que alguns anos antes o Homem havia chegado à lua. Na altura os mais velhos,diziam talvez para nos assustar: Vez aquela sombra na lua é um tipo que se portou mal, foi lá colocado para mal dos seus pecados, mais uma vez agora Portugueses na lua...

Hoje resolvi verificar...

Nada não há nada na lua, nem Americanos, nem o tipo que se portou mal. A lua está sem ninguém, mais nenhum artista resolveu voltar á lua "Neil ARMSTRONG" foi realmente um grande actor, hoje teria direito a um Óscar da academia.


Bom, cada um acredita no que quer, no entanto a lua pode ser um elemento fértil na imaginação de cada um, (quantas vezes me acusaram de andar no mundo da lua) eu gosto destas noites em que nos transmite luz, eu sempre gostei de noites de luar...















terça-feira, 6 de dezembro de 2011

ESTOU FARTO DE VIGARICES.

Porque é que estes vigaristas que lograram o povo não fazem como o novo primeiro ministro Italiano?


Já sei que estou a pedir muito, mas que tal dois ordenados mínimos?


Alguém é capaz de transmitir a estes vigaristas que o povo não aguenta!


Será pedir muito?


É favor informar o P.R. que um amigo de longa data informou que o melhor era demitir-se, e já agora desaparecer para sempre, levar os tipos que estão a ocupar o Parlamento e os antigos camaradas, dos governos Cavaquistas, (incluir o Alberto João) pois começam a ser todos uma vergonha para o país.


POR FAVOR IMFORMEM ESTA COJA QUE ESTAMOS FARTOS... porrrrra.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

UM DIA FELIZ...

Hoje finalmente posso afirmar:
Um dia feliz, finalmente um dia feliz!
Afinal este foi um dia como tantos outros, no entanto na hora de almoço dei de caras com a notícia que realmente queria.
Os pescadores desaparecidos estavam a salvo, não sou choramingas mas desta vez uma lágrima de felicidade teimou em rolar, não conheço nenhum dos homens do mar em causa, nem tão pouco familiares próximos, conheço bem a zona, conheço muito bem os trajes que os (as) locais usam, conheço as histórias trágicas, conheço muitos dos dramas…
Creio que é uma das comunidades mais unidas que conheço, quando se ouve falar em “Cachineiros”, fala-se de união para o bem ou para o mal.
É um povo sofredor este que se dedica ao mar, este como sabemos tanto pode manter muitas destas famílias como pode levar como paga alguns dos seus elementos, é um jogo perigoso, um modo de vida complicado…
Hoje como referi a história acabou em bem, no entanto algumas famílias não ganharam para o susto, já havia elementos enlutados, um sinal mais que evidente das ténues esperanças num desfecho feliz.
Ainda bem que o final foi diferente de tantos outros, ainda bem que o mar desta vez deu uma oportunidade, estamos no mês do Natal e creio que esta gente já teve a sua prenda.
Eu próprio tive a minha quando ouvi a noticia…

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A visitar!

As boas vindas, um dia solarengo de Outono/Inverno, estes dias são especiais, principalmente porque podemos captar fotos sem visitantes.

Ao longe o nicho de S.Mamede.



Diferente do habitual.




Caminhos específicos.



Um pouco de esforço e logo teremos uma visão magnifica.

Só um pouco mais...


Ao longe.
Do lado oposto o Gerês, magnificas montanhas de granito a proteger a beleza da reserva nacional.


Lá ao fundo o cruzeiro do santuário.



Diferente mas igualmente belo, pena um pouco de neblina.

Continuar a subir...


Boas ajudas, alguém pensou em nós.





Afinal é fácil.


De chegar ao nível do sol.

Não é um convite, no entanto garanto vale bem o esforço, quer gostem ou não de natureza, escolham um dia de sol sem vento de preferência.





































domingo, 27 de novembro de 2011

"QUEM SÃO AFINAL"

Este quadro acompanhou toda a minha existência, cresci a ler quase diariamente esta verso.


Não o entendia, não era capaz de decifrar o que queria abranger, os anos passavam e o quadro permaneceu impávido e sereno, quem sabe à espera que um dia eu fosse capaz de decifrar o que queria o autor passar como mensagem.


A casa onde mora é talvez das mais senhoriais da minha pacata terra, a família que a mandou edificar já pereceu faz tempo, já passaram depois vários donos nenhum se fixou, nenhum ganhou raízes, quem sabe a razão não seja o quadro, quem sabe não chegaram demasiados amigos na hora da refeição!


Dei por mim a pensar um destes dias, afinal o quadro tem a não lógica? Afinal onde andam os verdadeiros amigos? Afinal os amigos são aqueles que não se esquecem de nós nos momentos complicados ou pelo contrário são aqueles que chegam na hora da refeição, são os que ligam várias vezes, mesmo estando a centenas de km, ou são os que vivem ao pé da porta e passam semanas sem nos falar só porque vivem perto e deixam sempre para amanhã?


(Continuo confuso, preciso de ajuda para decifrar quem são os verdadeiros amigos, preciso que me elucidem numa tentativa de decifrar o que queria afirmar o autor)

sábado, 26 de novembro de 2011

Contradições do povo!

Afinal de contas o que é que se passa.


0 Povo quer ou não greves, afinal quem é que está em contradição, o povo ou os governantes?


O povo talvez, talvez tenha o que realmente pediu, ou pelo menos uma grande fatia desse Povo.


Agora sabemos que as possas sentem um amargo de boca, não sabem é muito bem a que sabe, não sabem onde se amarrar, não entendem onde esteve o erro!


É fácil de verificar que muitos dos meninos que abanavam bandeirinhas, e gritavam vivas no pós eleições estão agora a verificar o quanto foram ingénuos, ludibriados, sentem que fizeram asneira, no entanto o orgulho ainda fala mais alto, até ao Natal a coisa ainda vai aguentar, no entanto a semana que medeia este e o Ano Novo vai ser dramática.


Estes contra-sensos estão a ensombrar muitas mentes neste país, uns já não aguentam e resolvem entrar em greve, uma greve meio à toa, sem rei nem roque, chegamos ao fim do dia e nem uma conclusão real, os meninos do governo afirmam que foram para aí uns dois por cento, os sindicalistas falam em oitenta, que raio de médias, assim ninguém se entende, nem fica realmente informado.


A mim levantam-se duas questões, quem realmente ganhou com esta greve?


Creio que ninguém, com a excepção de uma pequena franja de transportadores, falo dos taxistas, porque raio estes senhores que tanto se queixam não aderiram à greve? Creio que sei a resposta, no entanto guardo-a para mim, depois dou conta que houve outros beneficiados, falo das gasolineiras, foi um ver se te avias, clientes que já andavam desaparecidos faz uns tempos lá se deslocaram aos postos, teve que ser não é verdade?


Não concordei com a greve, é verdade que a admito, é um direito adquirido, no entanto não concordo com os grevistas que impediram os trabalhadores que não pretendiam aderir à greve de trabalhar, o direito à greve não é o mesmo que o direito a impedirem outrem de trabalhar.


Há ainda outro pequenino pormenor que quero referir, ouve uma pequena manifestação em frente ao Parlamento, pacifico como é aliás apanágio do nosso povo, no entanto uns senhores pagos pelo povo, armados de bastões carregaram sobre alguns destes manifestantes, afinal quem são estas pessoas? Já não há vergonha, ou vivemos já sobre a vigilância de uma nova (PIDE,) estes malfeitores, sem a mínima vergonha ainda há poucas semanas se manifestavam, ilegalmente, com a agravante de alguns deles estarem fardados!


Assumiram o papel de forças de segurança sabiam as regras façam o favor de as cumprir sem atropelos, não estão satisfeitos demitam-se, vão trabalhar no duro.


Eu entendo que são precisas forças de segurança, caso contrário em pouco tempo seria uma anarquia completa, mas polícias sem escrúpulos, que querem uma lei para eles e outra para o simples cidadão que lhe paga o ordenado, não… não concordo, não estou disposto a pagar religiosamente os meus impostos para manter bandalhos deste calibre.


Políticos que mentiram ao povo só para o convencer a dar-lhes uma oportunidade que logo de entrada contrariaram todas as promessas, policias que querem direitos que sabiam de antemão que lhe estavam cortados, não servem para este país, demitam-se, o povo não está para manter malandros fardados e vigaristas assumidos.







domingo, 13 de novembro de 2011

"Reviver"

Enfim está tudo consumado, entramos numa nova era…




Estava há muito marcado no calendário, “o trovante” estaria em Guimarães, um conserto de despedida, bem sei que muitos dirão mas quantas vezes já se despediram? É simples nós pedimos sempre um regresso mesmo que esporádico, sabe sempre bem recordar, afinal de contas sempre fomos um povo que vive mais do passado que do presente, estamos sempre com nostalgia, com saudosismos, a verdade é que damos conta que a vida hoje não nos satisfaz, pior que isso estamos muito apreensivos com o futuro, por vezes em demasia a ponto de nos esquecermos de viver o presente.




Como vivemos um presente complicado resolvi esquecer um pouco as dificuldades e regressar ao passado (anos oitenta / noventa) este não era muito mais fácil só que havia então uma diferença, a malta vinha de décadas complicadas, só que havia a esperança de melhorias graduais é certo mas melhorias.




Hoje pelo contrário estamos a viver em desespero de causa e as melhorias são meras fantasias na cabeça de alguns crentes, a realidade é afinal algo muito mais complicado, a cada dia que passa uma nova medida restritiva, sempre no encalço dos mais desfavorecidos, dos que não têm possibilidade de fugir aos severos impostos sem retorno que se veja.




Podem apelidar-me de saudosista, não me importo, podem afirmar que estes tipos já estão ultrapassados no seu formato, ok admito, no entanto eu vi um pavilhão “multiusos” praticamente cheio, pessoas que já viveram o tal passado de que vos falei, mas os seu descendentes ao fim de alguns minutos já vibravam, já se tinham encaixado num som que ainda se ouve com gosto, é verdade na época em os trovante brilhavam as pessoas ficavam incrédulas, era algo futurista para a altura, recordo-me do espectáculo ao vivo no campo pequeno em finais da década de oitenta, era ainda um rapazito mas ficou-me gravado na memória, pela arte pela diferença pelo empenho e pela colaboração do público, algo novo em termos nacionais para a época.




Hoje deu-se por duas horas um regresso ao passado, ao tempo em que pelo menos havia esperança, em que ainda tínhamos direito a sonhar.





video(a qualidade não é a melhor mas foi o que se arranjou)

video
video

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

"REPETIR"

É verdade, hoje é o tal dia, o dia em que os números se repetem, alguém chama a este facto de capicua...

Bem todos sabemos que os números andam e desandam e voltam ao mesmo, tal qual os nossos governantes, estes aliás confundem as pessoas com números e a estes não ligam nenhuma, só se fala em passivo, boracos e divida, faz-me um pouco de confusão como é que pessoas decentes não se demitiram na hora que deram conta que afinal as contas não estavam como eles pensavam.

estes senhores não aprovaram o ultimo "PEC" que foi proposto por este ser demasiado exigente para com o povo, logo que se apoderaram do poder é o que se sabe...

Tenho a lamentar por mim e por alguns quantos que nunca acreditaram nas cantilena destes Srs., era fácil de ver que o que eles queriam era poder, um poder gratuito, um poder em que o povo nada pode fazer durante quatro anos, durante este tempo vamos comer o pão que o diabo amassou, de seguida vai ser ainda pior pois as finanças vão estar de tal maneira destruídas que não haverá solução.

Começo a dar razão ao secretário de estado que aconselha os jovens a emigrar, tem razão este Sr.

só que não podem ser só os jovens "TEM QUE SER O POVO NO GERAL" temos que emigrar em massa, por aqui parece não haver futuro, se saírem só os jovens quem vai pagar as reformas daqui a meia dúzia de anos?

Será a fome e como tal o melhor é sairmos todos pé ante pé, esses bandidos aldrabões que se danem, que vão roubar o r... q... os p... não há pachorra.

Já chega, já é demais.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Claro que sim...(a quem de direito)

Com então os tipos que outrora controlavam todo inclusive os Reis...
Srs. todos poderosos, sempre a influenciar as decisões, impondo o medo no povo, levando sempre a avante com as maiores vigarices, até terem o maior património não tributável do mundo.
Srs. que faziam o povo passar tormentas durante o estado novo, (segundo me contam eram os principais informadores da pide...
Chegaram agora onde sempre quiseram, ao poder, disfarçado é certo mas estão lá e bem enrraísados, têm agora o desplante de exigir que o povo fique sem quatro feriados, só sedem dois feriados religiosos se a sociedade civil ceder outros dois, excelente, para quem quer cortar tudo, é mais uma acha para uma fogueira que já arde descontrolada, muito obrigado meus Srs. é realmente disto que estava-mos à espera.
(Cada vez este Clero me convence mais)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

"Alguém vai preso hoje"

Só neste país, sete anos após ser acusado de condução sobre efeito de álcool um pastor de do baixo Alentejo foi conduzido à cadeia de Beja, motivo; cumprir sessenta dias de prisão por falta de dinheiro para pagar uma coima de quatro centos e cinquenta €, a condenação ocorreu em 17 /05/2010, o pobre do Sr. cometeu a infracção em 22/12/2004 ao conduzir uma moto quatro num qualquer caminho de terra batida longe de populações ou de transito, junto ao seu local de trabalho, ou seja junto ao seu gado.


hoje o dito criminoso foi encarcerado, como vive só deixa os seus animais à deriva ou a morrer à fome (como queiram) (não estou a ver os guardas a darem ração aos animais).


(Mais ou menos isto escreveu Teixeira Correia no "J N.")


Como li a noticia de relance posso ter falhado algo, mas mais coisa menos coisa é isto que estava escrito.


Agora pergunto eu, num país de aldrabões de grande classe, onde os criminosos matam, roubam, atentam contra a liberdade das pessoas, ocultam sucata roubada, mentem com todos os dentes nas campanhas eleitorais,vigarizam o Estado e seus contribuentes... Ninguém vai preso!


E DEPOIS, LEVAM DENTRO UM POBRE PASTOR SÓ PORQUE BEBEU MAIS UM COPITO NO SEU LOCAL DE TRABALHO.( não pondo ninguém em risco) ou seja o Sr. Dr. juiz não tinha mais a quem rapinar dinheiro, resolveu rapina lo a um pobre coitado como este não tem por onde pagar vai preso, porca justiça a Portuguesa, bandalhos estes agentes da lei.

domingo, 6 de novembro de 2011

"AMIGO"

Afinal ainda podemos contar com alguém...


Com os humanos é melhor não contar, quando são precisos nunca estão presentes, com as instituições, bem poucas contam, se falarmos das publicas bem é uma vergonha, basta vermos o que acontece com a segurança social, quem realmente precisa está f... se pensarmos o que acontece com os tribunais, enfim nem é bom falar, quem tem dinheiro para pagar advogados, safa-se sempre, "Isaltino..." depois damos conta que os fulanos só porque já foram políticos importantes da quadrilha do Cavaco estão a salvo, se um pobre coitado tivesse roubado ama arara na Amazónia, era entregue no dia seguinte a policia Brasileira, agora um tipo suspeito de assassínio, bem esse pode andar por aí sem o mínimo problema, não tivesse ele dinheiro e bens para comprar tudo e todos.


A PARTIR DE AGORA SÓ CONFIO NOS QUE ME SÃO REALMENTE FIEIS, ESTE CACHORRO ESPERA FIELMENTE QUE EU CHEGUE, ESTÁ SEMPRE DISPONIVEL, NOS BONS E MAUS MOMENTOS...


É de mais confiança que muita gente que por aí anda de lenço branco na mão!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

"TROVANTE"

Não quero saber, posso andar "teso" o resto do ano...
Mas vou ver os "TROVANTE" a Guimarães, é uma oportunidade única não vou desperdiçar, quero lá saber da crise, quero lá saber se vou ter batatas na mesa no "NATAL" quero lá saber se vai haver ou não país livre no próximo ano, quero lá saber o que diz, o paspalho do coelho, do cavaco , da troika, e de sei lá quem mais, vou ver os TROVANTE UMA ULTIMA VEZ, logo se vê o que vem a seguir, estes filhos de uma mãe menor é que mandam ok. levem os louros, eu dispenso.
Não vai haver dinheiro para prendas? tudo bem vivemos um dia de cada vez, e o dia dos "TROVANTE" na primeira capital já está mesmo a chegar...

Algo sobressai no escuro…

A luz está lá, mas o acesso parece muito complicado, não vale desistir, como vamos ter que poupar talvez fiquemos bem magrinhos, talvez ainda haja uma esperança de ultrapassar esta etapa...

" Quando as plantas se mostram agrestes, têm algo a defender, estas mostram a beleza se pode encontrar em plantas selvagens..."



Teremos também nós que sobreviver, talvez os espinhos de hoje tragam algo de novo, não será nesta geração, é tarde para pedir tanto, quem sabe na próxima?



sábado, 29 de outubro de 2011

Um herói do passado que está de volta!

Dei conta de um anuncio diferente estes dias!


Um filme que me recordará a infância, “uma corrente de lembranças” um regresso ao passado.


É verdade que quando lia as histórias na época não as entendia por inteiro, algo me escapava, não era capaz de decifrar o conteúdo político que continham, não era capaz de decifrar as mensagens que o autor descrevia nas suas rábulas.


Será de novo um contraponto com os actuais filmes que chegam às carradas do outro lado do Atlântico.


Já na época o meu herói era um contraponto ao super-homem, ao homem aranha e a outros tipos que realizavam tarefas fantásticas impossíveis de realizar por um comum mortal, tal como se desvinculava de outras estrelas da altura vindas da Disney como o avarento do tio patinhas, ou o louco do pardal.


No entanto já algo me dizia que avia alguma diferença neste herói Europeu, (ainda que eu nunca tenha ido à bola com os Franceses) era uma antevisão do que se viria a passar nos anos seguintes, obra de um visionário presumo.


Há já me esquecia foi “tintin” o primeiro ser a chegar à lua “quem sabe não foi o único, teorias da conspiração” acompanhado do seu fiel milu.


(Já ouço vozes a protestar mas imagino a vossa cara de espanto, mas cada um acredita no que quer.)

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

"A REDE"

Bom, hora de reflectir.



Afinal quando falamos de diferenças de que deveremos falar?



Do passado, do presente ou do futuro?



Todos estes itens têm algo em comum, pelo menos quando falamos de "nós" Portugueses, na verdade sempre fomos sempre um povo demasiado pacífico, demasiado parado, pouco activo para as anormalidades que nos vêem acontecendo, não é que este povo não mereça, este povo foi prevenido, este povo tem o que realmente pediu, este povo merece.



Todos nós vivemos este dilema, um dilema muito complicado, um dia após o outro, uma semana após a outra, um mês após outro, quem sabe um ano… ou uma década.



Este dilema tem algo a ver com toda esta população, uma população que se afirma esclarecida, desordenada e sem preconceitos, que devaneia ao primeiro arrufo.



Nós, essa sociedade que vive entre linhas, linhas, pouco consistentes para a nossa condição social, para as poucas oportunidades que vimos a ter.Estas linhas têm a ver com muitas situações com que nos deparamos diariamente;



Todos reparamos em factos que nos saltam à vista, exemplos não nos faltam, ele é o cachorro que vive entre colos e sofás e só porque os seus donos têm que sair de férias acaba na rua, (outro dado bem caraterístico é o facto de crescerem mais que aquilo que estavam programados, quantas vezes estes animais não são ofertas de Natal/ anos)



Poderemos reflectir numa outra linha, que pode ser uma floresta meia consumida pelo fogo alguma vez já repararam na paisagem de um e de outro lado, ou então quando saímos de casa na nossa viatura, paga com muito suor e lágrimas, e um pequeno contratempo de um momento para o outro a transforma em sucata.



Poderemos pensar mais alto, podemos ver com um pouco de atenção nas pessoas que vivem razoavelmente bem e de um momento para o outro perdem tudo, se reparar-mos o que acontece a uma família de pescadores que perde o elemento principal no mar, se olharmos com atenção há nossa volta damos conta que a vida não è aquilo que nós programamos, acaba sempre por conter factos bem distintos aquilo que nos vai na alma, ou havíamos programado.



Nesta altura do campeonato não temos muitas alternativas, demos uma maioria a um simples desconhecido, este juntou um grupo de amigos e logo resolveram fazer uma farra, transformaram um país pobre mas digno num complexo campo de concentração, agora eles mandam, têm o aval do comparsa que habita em Belém, nada podemos fazer para o contrariar!



Além de que estes senhores já avisaram que têm as policias prontas para actuarem em caso de desavenças.



Não era este um país democrático, solidário e social? Era, mas já não é! (poder ao povo, uma “ova”) Solidário só se for com os reformados do Governo ou Parlamento, ganham mais estes senhores num só mês de reforma que os trabalhadores toda a sua vida, Social? Que raio de sociedade é esta que não protege os mais carentes, que retira aos que menos recebem os seus subsídios, que aumenta as taxas moderadora para valores mais altos que as consultas no privado, que obriga a pagar portagens onde não existem alternativas viáveis, que corta os abonos, que obriga as famílias a terem os seus filhos na escola até aos dezoito anos sem que tão pouco paguem os seus transportes e livros…



Tenho uma vaga impressão que estamos divididos pela tal linha que vos falei no princípio, ou seja uma linha invisível que nos mantém na tona da água mas a uma distância demasiado longa de terreno firme e seguro, sempre à mercê de uma onda que pode surgir a qualquer momento.



Muitos de nós já assistimos a um espectáculo de circo já reparamos com muita atenção nos trapezistas, demos conta dos riscos que correm, no entanto sabemos que Têm uma "rede" que os protege de uma possível queda, imaginem o que seria a sua tarefa sem a tal “rede”?



É assim que vamos viver meus caros, todos trabalhamos, todos descontamos, tínhamos uma “rede” que nos garantia um futuro minimamente razoável, estes Srs. que o povo elegeu para nos governar resolveram retirar a "rede", hoje somos uns trapezistas sem "rede", somos uns heróis, trabalhamos, descontamos os nossos impostos com a garantia de que "não" vamos ter apoio na nossa doença, ou velhice, estamos mesmo a mercê da sorte.



Os nossos descontos servem afinal para manter um numero bem apreciável de pessoas que passaram por cargos públicos (nada fizeram de assinalável) e recebem reformas vitalícias de montáveis bem altos para a nossa economia, (basta reparar os montantes máximos que se pagam em reformas por essa Europa Espanha tem como máximo três mil euros, e já agora tem o dobro do nosso salário mínimo)



Creio que vamos viver sem “rede” muito tempo, ou nos unimos e retaliamos ou viveremos oprimidos num país que se diz democrático e social.

domingo, 23 de outubro de 2011

Bom Jesus do Monte.

Uma obra do passado digna de ser apreciada no presente. A entrada não aparenta nada de especial mas...

Um meio de transporte único.

Via dupla como convém.



Lá vem ele...



Metade do caminho já está nada de combustíveis fósseis...

Sem ruídos, é só gozar a viagem.

A chegada.


O Homem e a sua obra.

É verdade não entendo nada da poda, no entanto andam por aí uns entendidos que afirmam que é uma grande obra do "barroco"

Digno de ser apreciado.


O caminho para o transporte maravilha.


Uma vista panorâmica, no momento em que enche o depósito.(contrapeso"


Aqui havia um canudo, está em reparação, (eis a razão do dizer do povo ver Braga por um canudo)


A vista que o tal canudo daria.


Azar um pouco de nevoeiro impede uma visão mais nítida.

O passado e o presente frente a frente.


Para apreciar.

Fim de viagem, uma vista geral da obra.