quinta-feira, 28 de junho de 2012

Reconciliações e desavenças.



É quase sempre assim, depois das desavenças chegam as bonanças ou reconciliações, ele é o povo e os partidos logo após os desastres nos governos, ele são os adeptos e os seus clubes, sempre após uma grande vitória, é o caso dos Portugueses e da sua seleção.

Este foi o caso mais recente, ninguém acreditava na comitiva nacional, muitos já criticavam só por criticar, e hoje mesmo após uma derrota traumatizante, estava a Portela cheia de gente, mais parecia dia de jogo, enfim vira o vento vira a maré, já deveríamos estar habituados a estas coisas…

Mas as desavenças ocasionais também acontecem nas famílias, nos grupos de amigos, nos próprios casais, chegando até a ser perigoso alguém “por mais chegado que seja” opinar sempre ouvi dizer que entre marido e mulher não metas a colher…

Este casal de andorinhas é o exemplo real desta lengalenga.

terça-feira, 26 de junho de 2012

UM PAÍS DE CRENTES.

Bem perto da tenda, nunca tinha reparado com atenção devida.

sábado, 23 de junho de 2012

Está quase...

Bom chegou o Verão e o sol,por agora é só reviver, no entanto eu vou voltar, já faltou mais...

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Concentração total...

Reparem na concentração, já que chegamos aqui o melhor é não o desiludir.
Não o queiram ver zangado.

sábado, 16 de junho de 2012

REVIVER...


Eis o regresso ao (futuro) passado, quando o zé povo sonhava com estas bombas...

                                      

havia uma publicidade que afirmava, gasolina mal precisam, oficina nem falar!
Quem não gostava de ter um saltapocinhas destes?

quinta-feira, 14 de junho de 2012

POR FAVOR!!!!


Agora que as atenções estão mais viradas para Espanha, alguém que


 a derrubar a cadeira a estas sanguessugas!

domingo, 10 de junho de 2012

FERIADO, dia de "relembrar"


Em memória de um herói, que arriscou em vão, arriscou sem rede e sem a certeza dos resultados…
Muitos beneficiaram, ele infelizmente pouco tempo desfrutou, ficaram os abutres, havidos de sangue, sedentos de glória…
Ainda hoje alguns se repastam a seu belo prazer, já com uma nova ditadura em mente, é verdade que trajada de “tróica” com modelos policiais e de espionagem capazes de envergonhar os elementos ainda vivos da famosa “pide” que o diga o mais alto magistrado, Sr. C. e silva também ele elemento activo da dita polícia.
Infelizmente não chegou aos tempos de hoje, mas  pelo menos não passou pelo desgosto de ver a sua obra decepada dos seus princípios.

sábado, 9 de junho de 2012

Beleza...

Será que alguém fica indiferente perante uma imagem destas, é por estas e por outras que eu continuo a gostar deste país, aliás o país não tem culpa dos dos governantes que o povo elegeu...

sexta-feira, 8 de junho de 2012

PARA MEDITAR...

PONTOS DE VISTA!!!!!
"até tatuagens tem."

terça-feira, 5 de junho de 2012

Martírio...

video
Missão cumprida,não foi fácil mas...
Para começo um pouco de adrenalina, depois bem, depois foi um misto de boa disposição, música e martírio...
Quatro concertos seguidos, sete! sete longas horas de pé, não lembra ao diabo...
O regresso bem foi tal e qual como tinha previsto, um martírio!

sábado, 2 de junho de 2012

LIBERDADE...


É este o conceito, é esta a palavra de ordem, é assim que deveria ser...
Cada um dirá, eu sou livre à minha maneira, cada um sentirá na pele o verdadeiro significado da palavra "liberdade".
Ser livre é poder decidir, quando, como e sem porquês, ser livre é muito mais que não ter que dar justificações, no entanto ser livre implica deveres, a minha liberdade não pode nunca submeter a do meu semelhante!
Ser livre implica respeito pela liberdade dos outros...
A liberdade de muitos, desbaratada a seu belo prazer, pode condicionar a de outros, tal como uns minutos de prazer podem traduzir-se numa vida de sofrimentos, quantas vezes daqueles que mais gostamos.
Que a justiça nunca seja cega "nem condicionada" que a liberdade esteja com quem fez algo por a preservar.  

sexta-feira, 1 de junho de 2012

HÁ QUE CUMPRIR.


Normalmente prometer não passa de um ato leviano, quantas vezes é feito sem pensar…

No entanto lá chega a hora da cobrança, aí é que elas mordem, basta para isso reparar com um pouco de atenção o sofrimento com que caminham milhares de peregrinos em direcção aos vários santuários espalhados pelo país, Fátima é o mais usual mas muitos outros absorvem milhares e milhares durante o ano.

Por aqui o mais usual é o Sameiro e S. Bento da porta aberta, mas Compostela na vizinha Galiza também absorve muita fé.

Toda esta lenga, lenga, serve apenas para demonstrar que deveremos cumprir as promessas, eu tenho uma a cumprir este fim-de-semana.  

Não sei bem em que estava a pensar, mas prometi que ia ao festival, “ Rock in Rio” como as promessas são para cumprir e o dia está a aproximar-se rapidamente a confusão tem vindo a aumentar.

Bem sei que muitos dirão qual o problema?

É simples comprei os ingressos e após uns minutos reparei que os ditos cujos têm um valor muito superior ao oiro. Complicado aceitar este facto mas é real, (principalmente nos dias que correm) depois é preciso contar com a viagem, estamos a falar de trezentos e setenta quilómetros, não parece muito é até uma banalidade no meu dia-a-dia, mas e o regresso?

Vamos por partes, a viagem de ida, por volta das onze da manhã, corpos frescos, perfumados, com um aroma a dezenas de desodorizantes, nem haverá grande problema, sessenta passageiros calmos e bem-dispostos.

E o regresso?

É aqui que reside o problema, serão os mesmos sessenta e tal passageiros, só que agora em vez de perfumes o ar vai estar infectado com cheiros a suores, as roupas vão estar encharcadas e quezilentas, os ténis, ou botas de “cano alto” vão ser retirados dos pés cansados, bem sabemos qual é o resultado destas operações, um desastre…

Uma pessoa amiga dizia-me há uns tempos que tenho a mania de sofrer por antecipação, talvez seja verdade, mas desta vez, os trezentos e tais quilómetros vão ser de um sofrimento atroz.

Quando era ainda miúdo o povo dizia algo do género, para onde vais? E um sorriso de orelha a orelha impunha-se na resposta “para a festa” quando a pergunta era de onde vens? A resposta era sistemática “ó, venho da festa” mas desta vez nem o olhar se levantava do chão!

(Bom espero que pelo menos baila a pena, é que milhares de pessoas aos saltos não são bom prenuncio.)

Continuação... Minho verde.

 De novo o Minho serpenteando por entre montanhas.

 Já tinha mostrado estas imagens mas agora com um pouco de mais qualidade.
 Pouca sorte ainda não foi desta, será numa próxima a tal visita, foi mesmo por pouco tempo mas...
 uma aldeia perdida entre montanhas, o alvarinho agradece.
 As vinhas.
 Uma vista repleta de cores.
 Agricultura neste país, pois reparem como é que é complicada.
 Faz aí uns dez anos, a montanha abre uma fenda, brotou água em enxurrada do seu interior, a aldeia sofreu talvez o seu maior revés, vidas e património desapareceram.
Recompôs-se,tudo voltou à normalidade, no entanto as marcas ficam para todo o sempre.