segunda-feira, 30 de abril de 2012

ACONTECE...


Desde miúdo que ouço lengalengas sobre seres que estiveram do lado de lá e voltaram.

Cresci a ver filmes fantásticos, e mais histórias de sobre natural, tal como relatos de  pessoas  que eram levados por extra terrestres  e voltavam tempos depois, relatos que quase pareciam reais bastava para isso que a malta quisesse acreditar.

Às vezes a vida prega-nos partidas sem grassa, há dias em que melhor era não sairmos de casa…

Alguém que já papou mais que de um milhão de Km de alcatrão (apesar de alguns valentes abanões, em diferentes circunstancias, apesar de já ter visto terror espalhado no negro do alcatrão (e paralelo tão característico do norte deste país aqui há uns anos,) alguém que já perdeu amigos nestes trágicos incidentes que acontecem a qualquer um, mas que abalam famílias, grupos de amigos, localidades inteiras “quem já se esqueceu de Entre-os-Rios”) e depois sofre por um pequenino instante a sensação de fim de linha, um pequeno instante em que ficamos dependentes de outros, da sua boa vontade, ou simplesmente da sua rapidez de processos, ou ainda do espirito com que tal pessoa despertou pela manhã.

Quando não dependemos só de nós, da nossa perícia ou aselhice, quando por arrogância mostramos os dentes a quem faz algo que não nos convém, quando a boa vontade alheia é a ultima réstia de esperança para a continuidade da nossa existência, é um problema, um problema que não tem nenhuma solução, se o tipo que vem de frente no seu caminho sem stresse, sem preocupações além da normalidade do dia-a-dia sem esperar que alguém se vá atravessar na sua facha de rodagem e colocar muitas vidas em jogo, pode ser algo complicado pode ser o tal extremo em que as pessoas vêm o tal túnel de luz brilhante, pode ser a tal viagem aos confins do universo nas naves extra terrestres que alguns afirmam ter viajado.

Pode acontecer a qualquer um, no entanto o melhor quando acontece é refletir para que não se repita, nunca poderemos é ficar com a sensação que todo estava controlado "a mim, nada acontece," afinal sou o maior nesta brincadeira que envolve latas e cavalos e que por mero acaso envolve "vidas" pessoas mas só por acaso.

Aprendi fás já muito tempo que nunca deveremos afirmar desta água não beberei, no entanto creio que quando cometer erros destes devo ser o primeiro a admiti-los e nunca, mesmo nunca os desvalorizar porque a sorte nem sempre protege os inocentes, em miúdo ouvia uma lengalenga que afirmava que o cântaro tantas vezes vai à fonte que ás vezes…   

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Já passou...


Mais um dia feriado, chuvoso por sinal, um daqueles dias em que não apetece nada sair da tenda.

Ouvi os nossos políticos na sua festa no “Parlamento” uma festa cheia de discursos bonitos mas sem conteúdo, muita parra pouca uva, ou seja mais do mesmo, então o nosso “PR” mesmo a finalizar foi de (bradar aos céus) de muito mau gosto, não adiantou rigorosamente nada ao que todos nós já sabemos.

Como por volta do meio-dia ainda chovia fiquei mais um pouco, fiquei a pensar com os meus botões, se estes tipos querem acabar com dois feriados civis porque não com estes dois, (vinte e cinco de abril e primeiro de maio) este que passamos hoje além de estar a chover já não significa nada para os políticos, para o povo quase nada só meia dúzia de carolas, ainda acreditam nas conquistas de abril, os políticos bem esses querem é que se evite tais comemorações.

Quanto ao primeiro de maio, bem esse é o dia do trabalhador, e não são os trabalhadores que interessam aos Srs. que mandam neste quadradinho bem na ponta da Europa, aliás o povo só serve para manter os mesmos no poder, eleições atrás de eleições lá ficam sempre os mesmos no poleiro, sendo assim qual o motivo de comemorar este dia e logo com um feriado, melhor seria comemorar o dia dos ricos, ou quem sabe o dia dos bandidos corruptos, que ganha eleições com promessas que nunca comprem, quando saem ficam com chorudas reformas, além de uma mão cheia de tachos, quer sejam em empresas publicas ou em privadas onde deram os benefícios bem cientes das benesses que estão à espera.

Bem com o passar da hora do almoço o sol apareceu meio envergonhado, sempre deu para esquecer os políticos e sair em busca de alguém que se atrevesse comemorar este feriado, que quem sabe não é mesmo o ultimo…

Já agora alguém reparou quantos políticos “bem-falantes” se lembraram que um deles havia desaparecido ontem, aliás um dos que sempre remou contra a maré, fica aqui a minha homenagem a Miguel Portas já que nas comemorações no Parlamento só dei conta de uma voz a citar o seu nome em jeito de homenagem.

Uma só voz “peço” desculpa se me enganei, se mais alguém se referiu ao antigo colega de parlamento, e tantos foram os que tiveram debates com ele naquelas bancadas de S. Bento.

(Enfim, com feriado ou sem ele, hoje demos conta que o vinte e cinco de abril já era, já ninguém se lembra o que realmente foi a ditadura, hoje creio que estamos metidos numa ditadura bem mais complicada, uma ditadura financeira que não se resolve com armas nem com cravos, pior que isso temos uns políticos que se esquecem rapidamente dos seus camaradas, como poderemos querer que se lembrem de quem os elegeu.

sábado, 21 de abril de 2012

DIA SEGUINTE.

 Primeiras horas da manhã, nada melhor que água corrente límpida e fresca...
 Para seguir o seu curso é preciso ultrapassar obstáculos.
 Como vêm vale a pena molhar os pés.
 0 regresso a lareira, muito frio apesar do sol querer aparecer.

 regresso ao local do crime, um canastro (ispigueiro) típico.
 todas as ruas parecem iguais, tal qual um labirinto.
Mais um fim de semana que se foi, calmo mas curto, fica a vontade de regressar quem sabe para uns dias mais.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Creio que...

 Chegar já no fim da tarde, a temperatura exterior já convidava a um retiro.
 A paisagem continua excelente.
 O Ave continua límpido, mas ainda não convida a um mergulho.
 Para grandes males grandes remédios.
 O regresso ao passado bem expresso, só mais um pouco, para de seguida se conhecer a aldeia pela calada da noite.
  Vista à noite.
 Encruzilhadas...


 O mesmo tipo de construção em noventa por cento das construções, tal como o material aplicado."granito"
 O Tio Bicas, no seu café, aliás o único local.
 Alguém se lembra?
Novo dia, já é Domingo, a vista do interior da habitação, o dia que agora começa fica para depois.

Aperitivo.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

DIFICIL QB.

 Apanhar um belo pardal a alimentar-se em plena natureza não é fácil mas ás vezes...
Ao fim de inúmeras tentativas lá o apanhei distraído, bem colorido e barulhento, pelos vistos com fome.

terça-feira, 10 de abril de 2012

E porque não?


Bem sei que, muitos vão rir, muitos mesmo, no entanto porque não dar uma oportunidade...
Afinal estes tipos que o povo vai colocando na frente deste país não dão mostras de serem sérios, porque não!
O povo desta pequena localidade parece acreditar,convidou o pretendente ao trono a visitar o sitio onde um seu antepassado também estivera, "coisas de irmãos desavindos", mas isto foi no passado porque não no presente.

terça-feira, 3 de abril de 2012

EXCELENTE...

video

Creio que para um passeio de domingo é um bom local!

Bem sei que provavelmente saíram com os pés molhados, mas a frescura de primavera e principalmente o som que a corrente de água límpida deixa é algo do outro mundo, um concerto musical aqui seria excelente.

Fica um passeio barato, não há vendedores de gelados e pipocas, e desfruta-se de um ar fresco e limpo, com sorte avista-se uma truta esguia, “com sorte” claro porque normalmente só se dá pela sua passagem pelo remexer da água.

O túnel é uma obra excelente, creio que o ministro das obras públicas da época não seria nem familiar do atual, “se é que este existe”.